Temer sanciona lei que cria o Ministério da Segurança Pública

Mais Lidas

Imagem da CLDF é positiva para 75% dos brasilienses, recorde de aprovação – Rafael Prudente

Pesquisa de opinião realizada em todo o Distrito Federal revelou que a Câmara Legislativa é considerada “importante” ou “muito...

Assistência jurídica por meio de carta   – Agência Brasília

A Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape/DF) lança, nesta sexta-feira (27), em parceria com a Defensoria Pública...

Prefeita Prof.ª Selma Bastos, visita obras que serão entregues em breve!! | Prefeitura Municipal de Goiás

A Prefeita Prof.ª Selma Bastos esteve na manhã de hoje, quinta-feira, 27/11, visitando algumas das obras que estão em...

Presidente Michel Temer durante um discurso no Palácio do Planalto, no dia 1º de junho do 2018 – AFP

O presidente Michel Temer sancionou, com vetos, a lei que criou o Ministério da Segurança Pública. A pasta foi criada por medida provisória, em fevereiro, e aprovada pelo Congresso Nacional. A Lei 13.690 está publicada na edição de hoje (11) do Diário Oficial da União.

A lei especifica que o Ministério da Segurança Pública tem a função de coordenar e promover a integração da segurança pública em todo o território nacional em cooperação com os demais entes federativos.

Integram a pasta os departamentos de Polícia Federal; de Polícia Rodoviária Federal; Penitenciário Nacional; os conselhos Nacional de Segurança Pública; Nacional de Política Criminal e Penitenciária e a Secretaria Nacional de Segurança Pública, órgão responsável pela Força Nacional de Segurança Pública.

Inicialmente, o nome determinado na medida provisória era Ministério Extraordinário da Segurança Pública. Durante a votação no Congresso Nacional, o termo extraordinário foi retirado. Desde a criação, o ministério é comandado por Raul Jungmann.

Entre os vetos, está o artigo que determina que o ministro da Segurança Pública poderá, em caráter excepcional e mediante entendimento com o ministro da Defesa, solicitar militares das Forças Armadas ao presidente da República. A justificativa do veto explica que o item foi retirado da lei porque a gestão do quadro de pessoal militar é de competência dos comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.

Outros pontos vetados são os que davam ao ministério a competência de patrulhamento ostensivo das ferrovias federais e a política de organização e de fiscalização das guardas portuárias.

A lei também transforma o Ministério da Justiça e Segurança Pública em Ministério da Justiça.

 

FONTE: ISTO É

- Publicidade-

Últimas Notícias

Imagem da CLDF é positiva para 75% dos brasilienses, recorde de aprovação – Rafael Prudente

Pesquisa de opinião realizada em todo o Distrito Federal revelou que a Câmara Legislativa é considerada “importante” ou “muito...

Assistência jurídica por meio de carta   – Agência Brasília

A Secretaria de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape/DF) lança, nesta sexta-feira (27), em parceria com a Defensoria Pública do DF (DPDF), um projeto-piloto...

Prefeita Prof.ª Selma Bastos, visita obras que serão entregues em breve!! | Prefeitura Municipal de Goiás

A Prefeita Prof.ª Selma Bastos esteve na manhã de hoje, quinta-feira, 27/11, visitando algumas das obras que estão em andamento na Cidade de Goiás....

Aprovada a Lei da liberdade economica | Deputado Iolando

Foi sancionado pelo governador Ibaneis Rocha, nesta terça-feira (24), o Projeto de Lei 731/2019, de autoria do deputado distrital Iolando...

Elisabeth Kübler-Ross: a psiquiatra que nos deu lições sobre a morte

Elisabeth Kübler-Ross foi uma psiquiatra que mudou a forma como o ocidente observava, tratava e entendia a morte. Ela humanizou a morte e introduziu...
- Publicidade-

Notícias Relacionadas

- Publicidade-