Polícia prende suspeitos de usar máquina de cartão para vender drogas no DF

Mais Lidas

Autoestima e HIV: além do estigma – A Mente é Maravilhosa

A autoestima tem sido considerada um fator chave para o bem-estar psicológico e para a saúde. No entanto, existem...

Câmara Legislativa instala Frente Parlamentar Brasil-Brasília-China – Rafael Prudente

O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Rafael Prudente do MDB, instalou oficialmente nesta quarta-feira (21), a Frente...

Ônibus da Mulher segue atendendo por mais cidades – Agência Brasília

Ônibus da Mulher reforça o Outubro Rosa em Ceilândia e Samambaia Serviços em conjuntoAlém da orientação sobre...

 

A Polícia Civil prendeu, nesta sexta-feira (31), quatro suspeitos de tráfico de drogas na região de Ceilândia Norte, no Distrito Federal. Segundo as investigações, dois irmãos que faziam parte do grupo ve

Distribuidora

Na casa onde os suspeitos foram presos, na QNR 01, a polícia encontrou dois quilos de cocaína, uma balança de precisão, uma arma de fogo, dois carros, uma motocicleta e R$ 6 mil em dinheiro.

Segundo o delegado, no prédio de três andares funcionava a base da quadrilha para distribuição das drogas. No local havia uma espécie de “terraço”, onde os suspeitos tinham uma vista privilegiada da quadra.

“Dois irmãos comandavam o tráfico na região e construíram um prédio que utilizavam como torre de vigilância”, afirmou Leonardo. O objetivo, explicou o delegado, era “alertar os comparsas sobre eventual aproximação da polícia.”

Já no térreo, funcionava uma distribuidora de bebidas, supostamente administrada pelo mesmo grupo. A Polícia Civil diz, no entanto, que o estabelecimento aceitava apenas pagamento em dinheiro, de forma diferente das transações para venda de drogas.

ndiam os entorpecentes e recebiam o pagamento por meio de uma máquina de cartão de débito e crédito.

A negociação acontecia por meio digital para “não haver movimentação de dinheiro e facilitar o troco”, disse ao G1 o delegado da Coordenação de Repressão às Drogas, Leonardo de Castro.

“Eles entregavam a droga de carro, e perguntavam aos clientes se queriam pagar no crédito ou no débito, tudo para facilitar para eles.”

Neste sábado (1º), um dia após a prisão, o delegado informou que fará um pedido para quebra de sigilo bancário do proprietário do equipamento e, assim, descobrir detalhes da movimentação financeira. “Ficamos supresos com a inovação”, afirmou.

Fonte:G1

- Publicidade-

Últimas Notícias

Autoestima e HIV: além do estigma – A Mente é Maravilhosa

A autoestima tem sido considerada um fator chave para o bem-estar psicológico e para a saúde. No entanto, existem...

Câmara Legislativa instala Frente Parlamentar Brasil-Brasília-China – Rafael Prudente

O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Rafael Prudente do MDB, instalou oficialmente nesta quarta-feira (21), a Frente Parlamentar Brasil-Brasília-China. Criada para a...

Ônibus da Mulher segue atendendo por mais cidades – Agência Brasília

Ônibus da Mulher reforça o Outubro Rosa em Ceilândia e Samambaia Serviços em conjuntoAlém da orientação sobre o autoexame mamário e o...

NOTA INFORMATIVA. | Prefeitura Municipal de Goiás

A Prefeitura de Goiás, através da Sec. Mun. de Saúde, vêm a público esclarecer sobre os frascos de álcool gel que estão sendo amplamente...

Projeto de Lei do deputado Iolando prevê proibição de cobrança pelos serviços de religação de água e luz | Deputado Iolando

Aprovado em primeiro turno o PL 723/2019, de autoria do deputado Iolando, dispõe sobre cobrança de taxas pelo serviço de religação de luz e...
- Publicidade-

Notícias Relacionadas

- Publicidade-