Para distribuir renda, Rodrigo Rollemberg (PSB) quer que toda coleta de lixo do DF seja feito por cooperativas

Mais Lidas

DF tem mais um recorde de oferta de emprego – Agência Brasília

Oportunidades: 305 vagas para esta terça-feira (8) No comércio, a oferta é de 185 vagas. Para quem...

Com programa na rádio líder de audiência no DF deputado Hermeto comemora dia do radialista – Deputado Hermeto

Com programa na rádio líder de audiência no DF deputado Hermeto comemora dia do radialistaPublicado por Larissa do Vale...

É o fim – Blog Geração de Valor

De tempos em tempos precisamos reavaliar nossa rota, saber se realmente no caminho que estamos...

O governador e candidato à reeleição, Rodrigo Rollemberg (PSB), teve uma recepção calorosa, em encontro com catadores de cooperativas de lixo do Distrito Federal. Em reunião no Setor de Indústrias Gráficas (SIG), nesta segunda-feira (10/9), o socialista afirmou ter sido “o primeiro governador a olhar pelos catadores”, e disse que não há político ou candidato no DF que ame tanto a categoria quanto ele.

As falas populistas deram tom ao encontro, e durante discurso de cerca de 20 minutos, Rollemberg enalteceu o trabalho dos catadores, citando que pesquisa da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) mostra que a população acredita que a limpeza urbana é mais bem feita pela cooperativa do que pelas empresas contratadas pelo GDF.

Com isso, o governador emendou dizendo que “sonha que toda coleta do DF seja feita por cooperativas”. “As cooperativas estão mostrando uma capacidade profissional muito grande. Por que não sonhar que, com essas cooperativas já profissionalizadas e com o processo de evolução, sejam elas a fazer toda coleta e varrição do lixo do DF?”.

Rollemberg completou dizendo que isso permitiria uma maior distribuição de renda na capital federal, pois, invés do “recurso muito elevado” ir para poucas empresas, ele “beneficiaria milhares de catadores organizados em cooperativas em todo DF”.

Os presidentes de cinco cooperativas que atuam na capital discursaram, e destacaram as ações tomadas por Rollemberg, como o fechamento do Lixão da Estrutural e as melhorias nas condições de trabalho. Mesmo assim, não deixaram de ser críticos, e cobraram a ampliação no número de contratos fechados com cooperativas de triagem.

O governador recebeu uma carta dos catadores com cinco propostas já iniciadas que a categoria espera que sejam mantidas, e mais 11 novos projetos a serem seguidos em um segundo mandato. Entre eles, a criação de um projeto habitacional direcionado aos catadores; a garantia de vagas nas creches públicas para filhos de catadores próximos aos locais de trabalho e políticas adequadas para o tratamento de vidro. Rollemberg confirmou que vai estudar o material e tentar levá-lo à frente caso seja reeleito.

Após a reunião, Rollemberg garantiu ao Correio que, se reeleito, vai ampliar a coleta seletiva e os contratos de triagem das cooperativas. “Isso vai garantir uma cidade limpa, um meio ambiente equilibrado e que os catadores tenha uma vida digna, condições de educarem seus filhos de forma adequada e possam, cada vez mais, assumir um protagonismo em nossas cidades”. Atualmente, 11 cooperativas de catadores são contratadas pelo Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal (SLU) para realização de coleta seletiva porta-a-porta e mais 11 cooperativas contratadas para prestação de serviço de triagem.

Habitação

O governador Rodrigo Rollemberg garantiu também que o segundo mandato será marcado por políticas públicas voltadas à moradia, principalmente a de pessoas de baixa renda. O socialista colocou como uma das prioridades a construção do Setor Habitacional de Santa Luzia.

O projeto da Companhia Habitacional do Distrito Federal (Codhab) começou a sair do papel em maio deste ano, com a construção de uma casa piloto. Santa Luzia fica em uma área irregular da Estrutural, e abriga mais de 11 mil pessoas, grande parte formada por ex-catadores de lixo. A região já foi apontada pelo governo como “a mais precária de todo DF”.

O projeto, estimado em R$ 90 milhões, consiste na construção de 13,2km de casas lajeadas. São 13 conjuntos, com 2.384 unidades habitacionais, que serão montadas a partir do tamanho da família. A média é de 45 metros quadrados por apartamento, independentes do condomínio e com escadas por fora. A casa piloto, segundo Rollemberg, será entregue no próximo mandato, caso reeleito. Além desse conjunto, o socialista garantiu a entrega do bairro do Crixá, em São Sebastião, e do Itapoã Parque.

 

 

Fonte: Correio Braziliense

- Publicidade-

Últimas Notícias

DF tem mais um recorde de oferta de emprego – Agência Brasília

Oportunidades: 305 vagas para esta terça-feira (8) No comércio, a oferta é de 185 vagas. Para quem...

Com programa na rádio líder de audiência no DF deputado Hermeto comemora dia do radialista – Deputado Hermeto

Com programa na rádio líder de audiência no DF deputado Hermeto comemora dia do radialistaPublicado por Larissa do Vale em 21 de setembro de...

É o fim – Blog Geração de Valor

De tempos em tempos precisamos reavaliar nossa rota, saber se realmente no caminho que estamos seguindo iremos alcançar nossos objetivos....

A hostilidade em um relacionamento: o prelúdio do fim

A hostilidade é uma atitude de desprezo para com uma ou mais pessoas com a intenção consciente de fazer mal. Essa intenção pode ser...

Botafogo vence Vasco e leva vantagem para volta da Copa do Brasil | Policiamento Inteligente

O Botafogo saiu na frente no duelo com o Vasco pela quarta fase da Copa do Brasil. Em...
- Publicidade-

Notícias Relacionadas

- Publicidade-