Mulher ferida por galho de árvore deve receber indenização do GDF

Mais Lidas

Elisabeth Kübler-Ross: a psiquiatra que nos deu lições sobre a morte

Elisabeth Kübler-Ross foi uma psiquiatra que mudou a forma como o ocidente observava, tratava e entendia a morte. Ela...

Caixa credita auxílio emergencial para nascidos em fevereiro | Policiamento Inteligente

Fonte: aderivaldo23.com/noticias/economia/caixa-credita-auxilio-emergencial-para-nascidos-em-fevereiro

Governo entrega escrituras e autoriza a construção de 3 mil apartamentos populares no Riacho Fundo 2 – Rafael Prudente

Dia especial para os moradores do Riacho Fundo 2. O governador Ibaneis Rocha e o presidente da Câmara Legislativa...

(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)

Ela condenou o DF e a Novacap depois que um galho caiu sobre ela, causando corte profundo, perda de parte do couro cabeludo, além de lesão no ombro e na boca

A 3ª Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis manteve a decisão de primeira instância e condenou o Distrito Federal e a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) a indenizar uma mulher que foi gravemente ferida por queda de galho de árvore. Os réus terão que pagar, junto, R$ 1.870,00 pelos prejuízos materiais e R$ 15 mil por danos morais.

De acordo com a denúncia, o acidente aconteceu em 2016, na 108 Sul. A mulher andava quando um galho despencou na cabeça dela, causando um corte profundo na cabeça, chegando a perder parte do couro cabeludo, além de lesões no ombro e perda de um dente. Ela foi socorrida pelos bombeiros e levada ao Hospital de Base.

Na decisão de 1ª Instância, o juiz do 3º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF julgou procedentes os pedidos de indenização material e moral, considerando que os danos foram irreversíveis e que houve negligência do Estado, “que mesmo advertidas do risco da queda de galhos das arvores naquele local, se mantiveram inertes, bem como pela imprudência de não diligenciarem na prevenção de acidentes por meio de podas dos galhos das árvores, principalmente em período chuvoso, época em que os acidentes dessa natureza se intensificam”.

A Turma Recursal entendeu que “é dever dos réus a manutenção dos passeios públicos, zelando, assim pela segurança dos transeuntes. De idêntica maneira devem sinalizar eventuais obstáculos e/ou perigos, a fim de prever e evitar acidentes”. Após recurso, a turma manteve a sentença na íntegra.

FONTE: CORREIO BRAZILIENSE

- Publicidade-

Últimas Notícias

Elisabeth Kübler-Ross: a psiquiatra que nos deu lições sobre a morte

Elisabeth Kübler-Ross foi uma psiquiatra que mudou a forma como o ocidente observava, tratava e entendia a morte. Ela...

Caixa credita auxílio emergencial para nascidos em fevereiro | Policiamento Inteligente

Fonte: aderivaldo23.com/noticias/economia/caixa-credita-auxilio-emergencial-para-nascidos-em-fevereiro

Governo entrega escrituras e autoriza a construção de 3 mil apartamentos populares no Riacho Fundo 2 – Rafael Prudente

Dia especial para os moradores do Riacho Fundo 2. O governador Ibaneis Rocha e o presidente da Câmara Legislativa do DF, Rafael Prudente do...

Vendedores, os mais procurados nesta segunda-feira (23) – Agência Brasília

A semana começa com a demanda por vendedores ainda crescente nas agências do trabalhador. Das 1.190 vagas oferecidas nesta segunda-feira (23), 574 são para...
- Publicidade-

Notícias Relacionadas

- Publicidade-