“Estou tentando me perdoar”, diz amiga de jovem que se afogou no lago

Mais Lidas

Elisabeth Kübler-Ross: a psiquiatra que nos deu lições sobre a morte

Elisabeth Kübler-Ross foi uma psiquiatra que mudou a forma como o ocidente observava, tratava e entendia a morte. Ela...

Caixa credita auxílio emergencial para nascidos em fevereiro | Policiamento Inteligente

Fonte: aderivaldo23.com/noticias/economia/caixa-credita-auxilio-emergencial-para-nascidos-em-fevereiro

Governo entrega escrituras e autoriza a construção de 3 mil apartamentos populares no Riacho Fundo 2 – Rafael Prudente

Dia especial para os moradores do Riacho Fundo 2. O governador Ibaneis Rocha e o presidente da Câmara Legislativa...

Dois dias após o universitário Giovanni Maurício de Souza, 23 anos, morrer ao saltar da Ponte Honestino Guimarães, a amiga Ariela Amaral, que estava com ele no momento da tragédia, quebrou o silêncio e concedeu entrevista exclusiva ao Metrópoles.

Ainda muito abalada, a estudante de cinema e mídias digitais diz ter feito todo o possível para salvar o jovem. “O Giovanni praticava esportes radicais. Comentei sobre uma galera que às vezes pulava da ponte, e meus irmãos já tinham feito isso há uns anos. Ele se empolgou e me pediu para a gente ir lá pular, quando ele estivesse aqui [em Brasília]”, relata. Giovanni morava em Pelotas (RS).

No domingo (22/7), após se encontrarem com um grupo de amigos, Giovanni, Ariela e um outro rapaz resolveram saltar da Honestino Guimarães. Ela lembra estar, no dia marcado, com um pressentimento ruim. “Nosso amigo pulou primeiro. Eu estava muito nervosa e com uma sensação ruim. Comentei isso com o Giovanni, falei que não queria pular e morrer. Aí ele disse: ‘Ano que vem, você ainda vai pular de paraquedas comigo’. Falou com tanta firmeza que me acalmei e em seguida pulamos”, contou a moça.

Ela caiu de mau jeito e começou a sentir dores no abdômen, mas, ao voltar para a superfície, encontrou o amigo sorridente e tranquilo. “Ele me falou para boiar e respirar. Perguntou se eu estava bem para nadar e me tranquilizou. Então, começamos”, afirma Ariela. Nesse momento, Giovanni disse se sentir cansado e ela pediu para ele ficar calmo.

“Ele disse: ‘Ariela, estou fraco’. Voltei e pedi que ele se acalmasse e tentasse boiar. Um amigo nosso gritou para nadarmos de costas”, resume. A estudante relata as inúmeras tentativas que fez para não deixar o rapaz afundar.

Tentei sustentar o corpo dele com as minhas pernas e braços, mas, quando eu soltava, ele afundava um pouco. Então, eu o segurei em cima do meu peito e passei a nadar de costas, puxando ele. Ainda estava consciente, mas respirava com dificuldade

Ariela Amaral, amiga de Giovanni, que se afogou no lago após saltar de ponte

Momentos de desespero
Contudo, Giovanni tinha 1,80m de altura, e Ariela também sentia fraqueza. “Ele começou a ficar pesado. Decidi ficar de costas para ele e tentar puxá-lo, porque assim eu teria mais forças para nadar. Nadei, nadei, nadei muito”, lembra a estudante. “Nosso amigo também estava fraco e conseguiu chegar perto da gente, mas não deu conta de nos puxar. Giovanni ficou extremamente pesado nas minhas costas. Eu gritava por socorro, mas as pessoas que estavam na margem só assistiam [à tragédia]”, diz.

Nesse momento, Ariela começou a afundar junto com Giovanni. “Eu, que antes estava calma, entrei em desespero e comecei a engolir muita água. Tive que empurrar o corpo dele de cima de mim. Quando subi, tentei puxá-lo pelo braço, mas não alcancei. Quis mergulhar, mas havia engolido muita água e estava desgastada pela força que usei para sustentá-lo”, relata, angustiada.

Foi então que Ariela começou a gritar o nome de Giovanni. O amigo dos dois conseguiu se aproximar e a puxou para o raso. Com sentimento de culpa, a moça acredita que poderia ter salvado a vítima.

Mais umas três braçadas e eu conseguiria. Só faltava isso. Em parte sinto culpa, pois queria muito ter sido mais forte para salvá-lo. Teria dado minha vida se soubesse que com isso o Giovanni se salvaria. Só fico pensando no momento em que precisei empurrar o corpo dele de cima de mim. Estou tentando me perdoar por tê-lo soltado

Ariela, sobre a morte do amigo
Fonte: Metrópoles
- Publicidade-

Últimas Notícias

Elisabeth Kübler-Ross: a psiquiatra que nos deu lições sobre a morte

Elisabeth Kübler-Ross foi uma psiquiatra que mudou a forma como o ocidente observava, tratava e entendia a morte. Ela...

Caixa credita auxílio emergencial para nascidos em fevereiro | Policiamento Inteligente

Fonte: aderivaldo23.com/noticias/economia/caixa-credita-auxilio-emergencial-para-nascidos-em-fevereiro

Governo entrega escrituras e autoriza a construção de 3 mil apartamentos populares no Riacho Fundo 2 – Rafael Prudente

Dia especial para os moradores do Riacho Fundo 2. O governador Ibaneis Rocha e o presidente da Câmara Legislativa do DF, Rafael Prudente do...

Vendedores, os mais procurados nesta segunda-feira (23) – Agência Brasília

A semana começa com a demanda por vendedores ainda crescente nas agências do trabalhador. Das 1.190 vagas oferecidas nesta segunda-feira (23), 574 são para...
- Publicidade-

Notícias Relacionadas

- Publicidade-