Câmara do DF derruba veto à lei que cria ‘Estatuto da Família’ e exclui casais LGBT

Mais Lidas

Reenquadramento positivo: como olhar a partir de outra perspectiva

Às vezes, ser capaz de ver as coisas a partir de outro ponto de vista melhora a nossa capacidade...

Primeira parcela do auxílio residual será paga a partir de quarta | Policiamento Inteligente

A primeira parcela da extensão do auxílio emergencial será paga a partir de...

Câmara Legislativa aprova isenção de ICMS para remédio mais caro do mundo – Rafael Prudente

Encaminhado pelo Executivo nesta terça-feira (22), o projeto de decreto legislativo para isenção do ICMS para o remédio Zolgensma...

Fachada da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) (Foto: Gabriel Luiz/G1)

Rollemberg vetou texto em 2015; ex-ministro do STF chamou trecho de ‘afronta’. Autor diz que medida ‘não discrimina ninguém’.

A Câmara  Legislativa do Distrito Federal derrubou, nesta terça-feira (12), o veto ao projeto de lei que cria um “Estatuto da Família” para a capital. Aprovado em 2015, o texto gerou polêmica porque define família como “a união entre um homem e uma mulher”.

 

O projeto foi vetado na íntegra pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB), ainda em 2015. Nesta terça, o governo reafirmou o entendimento do veto e disse que a Procuradoria-Geral do DF vai analisar “as medidas cabíveis”.

Com a derrubada, o texto entra em vigor assim que for promulgado no Diário da Câmara Legislativa do DF – o que deve acontecer nos próximos dias.

A partir daí, se quiser contestar a lei, o governo, o MP ou alguma entidade terá de entrar na Justiça com uma ação de inconstitucionalidade.

Projeto aprovado pela Câmara do DF define 'entidade familiar' como união entre homem e mulher (Foto: CLDF/Reprodução)

Projeto aprovado pela Câmara do DF define ‘entidade familiar’ como união entre homem e mulher (Foto: CLDF/Reprodução)

O que diz o texto?

Além da definição polêmica de família, o texto prevê que o governo deve garantir “condições mínimas de sobrevivência” à entidade familiar, com políticas de segurança alimentar, acesso à educação e à cultura e combate à violência doméstica.

O texto também “assegura atenção integral à saúde dos membros da entidade familiar”, pelo SUS e pelo programa Saúde da Família.

Em outro artigo, diz que os currículos do ensino fundamental e médio do DF devem ter, como componente, a disciplina “educação para a família”. As escolas deverão, ainda, formular e implantar “medidas de valorização da família no ambiente escolar”.

Na justificativa do projeto de lei – um texto de apoio que é protocolado junto à proposta –, Delmasso diz que a família “vem sofrendo com as rápidas mudanças ocorridas em sociedade”.

Em outro trecho, a justificativa cita a “desconstrução do conceito de família” é equiparada à violência doméstica, à gravidez na adolescência e à epidemia de drogas como “questões complexas” que atingem as famílias no mundo contemporâneo.

Sede do governo do DF, Palácio do Buriti (Foto: Nilson Carvalho/Agência Brasília)

Sede do governo do DF, Palácio do Buriti (Foto: Nilson Carvalho/Agência Brasília)

O veto do governo

Na época do veto, em setembro de 2015, o Palácio do Buriti apontou dois “níveis” de inconstitucionalidade – um ligado à definição de família, e outro, ao restante do estatuto.

Segundo o governo, a definição do “conceito de entidade familiar” é matéria de direito civil e, por isso, deve ser discutida no âmbito federal. Em 2011, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu como entidade familiar a união estável entre casais do mesmo sexo.

Os outros dispositivos do estatuto, diz o veto, afrontam a Constituição porque “estabelecem obrigações específicas” para secretarias, órgãos e entidades do governo do Distrito Federal. Neste caso, Rollemberg diz que há “vício de iniciativa” – ou seja, que apenas o governador poderia apresentar esse tipo de projeto.

Nesta terça, a Secretaria da Casa Civil reafirmou o entendimento ao G1. Em nota, o órgão diz que os vetos baseados em inconstitucionalidade e derrubados pela Câmara “serão analisados pela Procuradoria-Geral do DF, que tomará as medidas cabíveis”.

O deputado Rodrigo Delmasso em discurso na Câmara (Foto: Carlos Gandra/Divulgação)

O deputado Rodrigo Delmasso em discurso na Câmara (Foto: Carlos Gandra/Divulgação)

Na época da polêmica, o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Ayres Britto também disse ser contrário ao projeto. Segundo ele, o texto é uma “afronta direta” à decisão de 2011 da corte suprema.

“A redação do acórdão do STF é claríssima, não enseja nenhuma dúvida interpretativa. Já transitou em julgado, inclusive. […] Para mim, com todo respeito, foi uma afronta direta à decisão do Supremo e, por consequência, um desrespeito à Constituição Federal no tema”, declarou.

Autor comemora derrubada

A derrubada do veto foi comemorada em redes sociais pelo deputado Delmasso (Podemos), autor da proposta. Ao G1, ele disse que o projeto de lei “não discrimina ninguém, mas valoriza a família tradicional”.

“Estamos promovendo a família, que precisa ser o centro da execução das políticas públicas”, diz Delmasso.

Questionado sobre a possível exclusão de quem convive em outros “arranjos familiares”, como casais homoafetivos, o parlamentar afirma que o conceito é “apenas sociológico” e não teria validade legal.

“A família tem sido destruída, e por isso, estamos em uma sociedade mais violenta, mais intolerante e que discrimina mais”, afirma.

FONTE : G1 DF.

- Publicidade-

Últimas Notícias

Reenquadramento positivo: como olhar a partir de outra perspectiva

Às vezes, ser capaz de ver as coisas a partir de outro ponto de vista melhora a nossa capacidade...

Primeira parcela do auxílio residual será paga a partir de quarta | Policiamento Inteligente

A primeira parcela da extensão do auxílio emergencial será paga a partir de quarta-feira (30), segundo calendário divulgado...

Câmara Legislativa aprova isenção de ICMS para remédio mais caro do mundo – Rafael Prudente

Encaminhado pelo Executivo nesta terça-feira (22), o projeto de decreto legislativo para isenção do ICMS para o remédio Zolgensma – considerado o mais caro...

Turismo no DF é destaque na Abav Collab – Agência Brasília

As opções turísticas oferecidas por Brasília estão expostas no stand virtual organizado pela Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF)  dentro do Abav Collab,...

O Centro de Seleção da UFG, divulga os locais e cidade de realização das provas do Concurso Público para Prefeitura de Goiás. | Prefeitura...

Confira clicando nos links abaixo: https://centrodeselecao.ufg.br/portal/local-prova https://centrodeselecao.ufg.br/…/2019_10092020_-_Lista… Fonte: www.prefeituradegoias.go.gov.br/2020/09/23/o-centro-de-selecao-da-ufg-divulga-os-locais-e-cidade-de-realizacao-das-provas-do-concurso-publico-para-prefeitura-de-goias/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=o-centro-de-selecao-da-ufg-divulga-os-locais-e-cidade-de-realizacao-das-provas-do-concurso-publico-para-prefeitura-de-goias
- Publicidade-

Notícias Relacionadas

- Publicidade-